15 de junho de 2008

"Quem não arrisca, não petisca"


"Milho que não passa pelo fogo, continua a ser milho para sempre"

Esse é um trecho do livro de Rubem Alves - "O amor que acende a lua". Parando pra pensar nesta metáfora, é desse jeitinho que funciona a vida.
É a prova de como a gente se vê acomodados com algumas situações, achando que não se pode mudar, quando na verdade não passa de puro medo de dar a cara pra bater. Medo de trocar o certo pelo duvidoso. Afinal é muito mais fácil ser infeliz do que quebrar a cara. Esquecemos que é com os erros que aprendemos, se não deu certo: valeu a tentativa!
Felizmente as coisas voltaram a andar pra mim e eu não tenho medo de mudar o rumo de minha vida para ser feliz. Antes eu pensava que meus pais vão ser pra sempre. Que ia depender deles, continuar morando na mesma casa, fazendo os mesmos programas de sempre. Mas agora já me vejo em outra situação, totalmente independente, fora do país, ralando e estudando pakas e claro ao lado de uma pessoa que me fez bem.
É que nem aquele velho ditado: "quem não arrisca, não petisca". Ás vezes a felicidade tá batendo na porta, mas a acomodação é tão grande que nos impede de levantar do sofá e abrir a porta.
Não custa nada sonhar, mas também não custa nada arregaçar as mangas pra realizá-lo. Senão iremos ser os eternos "piruás" que continuam achando que o seu jeito de ser é o melhor e se recusam a mudar.

Infelizmente não li este livro do Rubem, mas vasculhando pelo mundo virtual, achei muito bacana. Então quem tiver a oportunidade, dê uma lidinha.

1 comentários:

Aline disse...

passando p deixa bjinhu
lindo texto Mah
vo ver c consigo esse livro
bjinhuu